Os cuidados com a motocicleta devem ser constantes, principalmente em uma cidade como São Paulo, onde 430 mil motos circulam diariamente. Esta intensa movimentação deve fazer com que o usuário fique atento ao bom funcionamento do motor. A NGK, principal fabricante e especialista de Velas de Ignição do mundo, recomenda a revisão preventiva das velas e terminais supressivos das motocicletas cada 3 mil quilômetros.

“A manutenção regular ou a troca, quando necessária, das velas de ignição e terminais supressivos pode evitar o desgaste excessivo do motor e refletir no rendimento da motocicleta, na redução de consumo do combustível e gases poluentes expelidos pelo escape”, explica Ricardo Namie, chefe da Assistência Técnica da NGK.

As velas de ignição são responsáveis por conduzir a alta voltagem elétrica para o interior da câmara de combustão, transformando-a em faísca para inflamar a mistura ar/combustível. O uso de peças com vida útil ultrapassada acarreta em problemas, como dificuldade na partida e falhas no motor. Além do desgaste e redução da qualidade de componentes, como cabos, bobinas, transformador, distribuidor e até catalisador.

Os terminais supressivos, também indispensáveis para o pleno funcionamento do motor, são bons supressores de ruídos e interferências. As peças têm como característica uma potente resistência mecânica a ataques de combustível, óleo e água. Por conta disso, contam com durabilidade em condições extremas de temperatura e alta tensão. Ótimos condutores elétricos, os terminais asseguram uma ignição sem falhas e conseqüente economia de combustível.


Fonte: http://duasrodas.blog.br